Print

Cuidados remotos: cuidar da sua saúde utilizando ferramentas digitais

Este folheto informativo analisa a forma como a tecnologia digital está a mudar os cuidados de saúde e o que isto significa para si.

Última atualização 09/01/2023
This content is available in multiple languages.

De que modo está a tecnologia digital a mudar os cuidados de saúde?


Os desenvolvimentos na tecnologia digital estão a alterar a forma como os cuidados de saúde estão administrados. A tecnologia digital refere-se a dispositivos e sistemas eletrónicos que funcionam online.

As plataformas online, as videochamadas, os wearables (dispositivos que pode usar no corpo) e as aplicações estão todos a tornar-se ferramentas familiares nos nossos cuidados de saúde. No campo médico, isto é frequentemente chamado “telemedicina” ou “telessaúde”. Na prática, isto significa que os cuidados de saúde são administrados de forma remota. É aqui que o profissional de saúde e o paciente conectam através da tecnologia digital.

A pandemia da COVID-19 tornou necessário, em grande medida, acelerar esta mudança. Durante este período, muitas vezes os cuidados foram prestados digitalmente. O objetivo era reduzir a propagação da pandemia, enquanto se continuava a prestar apoio às pessoas que dele precisavam.

O que significam estas alterações?


Durante a pandemia da COVID-19, tantos os prestadores de cuidados de saúde como os membros do público tiveram de se adaptar às alterações nos cuidados de saúde. Em muitos contextos, isto significou falar com profissionais de saúde por telefone e videochamadas.

À medida que a pandemia vai abrandando e os serviços estão a regressar ao normal, a utilização das ferramentas digitais permanece disponível. Isto pode significar que nos próximos anos poderá optar entre cuidados de saúde presenciais e alguma gestão remota da saúde. À medida que mais investigações analisam o grau de eficácia destes serviços e a melhor forma de os prestar, poderão ocorrer mudanças adicionais no futuro.

Como posso gerir o meu estado de saúde utilizando ferramentas digitais?


As ferramentas digitais estão a ter impacto sobre todas as áreas de saúde. Isto inclui as consultas remotas e a monitorização em casa, bem como os dispositivos wearables e as aplicações de saúde. Seguem-se alguns exemplos da forma como a tecnologia está a ser utilizada nos cuidados de saúde:

Videochamadas para consultas

Receberá um e-mail ou uma mensagem de texto do seu prestador de cuidados de saúde se tiver uma videoconsulta agendada. Esta irá confirmar a data e a hora da consulta e como pode aceder à videochamada. Poderá aceder à sua consulta no seu smartphone, tablet ou computador. Ser-lhe-á oferecida uma consulta remota se o seu prestador de cuidados de saúde não precisar de um exame físico nessa fase. Consulte a secção abaixo para saber como se preparar para as consultas neste formato.

Partilhar fotografias ou vídeos

Poderá ser-lhe solicitado que partilhe uma fotografia ou vídeo da sua doença ou de sintomas específicos antes de falar com um profissional de saúde. Receberá uma descrição deste procedimento do seu prestador de cuidados de saúde. As fotografias e os vídeos são normalmente enviados através de mensagens de texto, e-mails ou carregamentos seguros numa plataforma online. Isto irá ajudar o seu profissional de saúde a compreender melhor o seu estado. O seu profissional de saúde também poderá partilhar ficheiros ou vídeos consigo, incluindo folhetos informativos ou vídeos com instruções sobre como, por exemplo, utilizar um dispositivo.

Enfermarias virtuais e monitorização em casa

Em algumas circunstâncias, as pessoas podem receber alta do hospital e ser monitorizadas em casa. O que aconteceu durante a pandemia da COVID-19 foi um bom exemplo disto. Como a procura pelas camas dos hospitais era muito grande, as pessoas que tinham sintomas mais estáveis puderam ir para casa. Continuaram a receber oxigénio e os seus sintomas e níveis de oxigénio foram monitorizados de forma remota pelos assistentes.

Sessões de atividade ou reabilitação online

Se tiver sido aconselhado a realizar sessões de atividade ou reabilitação para ajudar a gerir os seus sintomas ou a recuperação de uma doença, isto pode ser feito através de uma aula ou um tutorial online. As aulas podem ser ministradas através de sessões de vídeo às quais muitas pessoas aderem e participam em direto. Ou podem ser-lhe enviados vídeos gravados para ver ao seu próprio ritmo.

Diários ou questionários online

Pode optar por registar os seus sintomas num diário online para ajudar a manter um registo do seu estado ao longo do tempo. Pode ser útil ter um registo pessoal para levar consigo à sua próxima consulta.

Os questionários online podem construir um quadro do seu estado ao longo de um período de tempo. O seu profissional de saúde pode solicitar-lhe que faça o registo antes de ir à próxima consulta. Pode ser-lhe enviado um questionário para preenchimento por e-mail ou mensagem de texto antes de uma consulta.

Dispositivos wearable

Os dispositivos que pode usar no seu corpo, como os relógios inteligentes, podem ajudar a monitorizar um leque de medições do seu corpo, incluindo a frequência cardíaca, os níveis de stress, os padrões de sono, os níveis de oxigénio e os níveis de atividade. Estes dispositivos estão normalmente ligados a uma aplicação do seu smartphone ou tablet. Uma aplicação – também conhecida pela abreviatura app – é um programa que pode instalar no seu smartphone ou tablet, que reúne informações e constrói um quadro da sua saúde ao longo do tempo.

Normalmente, estes sistemas não estão diretamente ligados ao seu prestador de cuidados de saúde, mas podem ser informações úteis a ter consigo durante uma consulta com o seu profissional de saúde.

Aplicações de saúde

Existem muitas aplicações disponíveis para ajudar a monitorizar a sua saúde. Algumas incluem informações sobre como gerir a sua doença. Outras lembram-lhe que deve tomar os seus medicamentos ou permitem-lhe monitorizar os seus registos de um dispositivo médico.

A maioria das aplicações estão disponíveis para transferência e utilização se for essa a sua opção. Se o seu prestador de cuidados de saúde pretender receber leituras do seu dispositivo médico, irá abordar o assunto consigo e poderá indicar-lhe de que aplicação ou plataforma precisa para estabelecer ligação a um sistema do hospital.

Quais são os benefícios?


A utilização das tecnologias digitais nos cuidados de saúde tem muitos benefícios. Eis alguns exemplos da forma como as ferramentas digitais podem beneficiar os indivíduos:

Reduzir a necessidade de deslocações

Se comparecer a uma consulta de forma remota, então não precisa de se deslocar ao local. Pode poupar tempo e dinheiro e é melhor para o ambiente.

Melhorar o acesso aos profissionais

As videochamadas e os telefonemas podem facilitar o acesso aos profissionais de saúde sem necessidade de se deslocar para as consultas.

Em alguns casos, também pode ser difícil consultar um especialista da sua doença que pode trabalhar num hospital especializado, em vez de no seu hospital local. As consultas remotas facilitam o acesso a este nível de cuidados, não obstante o local onde resida.

Melhorar a colaboração e a capacitação

Tomar medidas para verificar a sua saúde em casa pode proporcionar-lhe uma nova compreensão da sua doença, ajudá-lo a sentir maior controlo da situação e mais capaz de contribuir com informações ao falar sobre o seu estado de saúde. Também pode ajudá-lo a lembrar-se de tomar os seus medicamentos. Isto é particularmente útil se se for o tipo de pessoa que tem dificuldades em seguir a rotina de tratamento recomendada.

Selecionar o tipo de ambiente

Algumas pessoas também podem considerar os ambientes hospitalares e clínicos desconfortáveis e preferir estar na sua própria casa para as consultas. Noutros casos, podem sentir que é útil dar ao seu prestador de cuidados uma ideia de como é a sua rotina doméstica com a sua doença.

As videochamadas remotas oferecem-lhe a possibilidade de estar em casa, o que algumas pessoas podem preferir especialmente se receberem más notícias.

Controlar as infeções

As consultas remotas reduzem a propagação das infeções. Se tiver algum sintoma contagioso é mais seguro ficar em casa do que deslocar-se para um estabelecimento de saúde onde pode infetar outras pessoas. Isto também significa que está protegido relativamente a qualquer pessoa que se encontre numa sala de espera ou transporte público que possa ter sintomas infecciosos.

Quais são os desafios?


À medida que a utilização das plataformas digitais se generaliza, há muitas mudanças que ainda são necessárias nos cuidados de saúde. Seguem-se alguns dos desafios que os sistemas de cuidados de saúde e os membros do público têm pela frente:

Mudanças nas estruturas dos estabelecimentos de saúde

São necessários novos sistemas e mudanças nos padrões de funcionamento nos estabelecimentos de saúde. Por exemplo, se forem concedidas aplicações a grupos completos de pacientes, é necessário existirem profissionais de saúde administrativos para verificar essas informações. Estes devem poder dar seguimento às informações recebidas se surgir algum sintoma de alerta que é preciso acompanhar. Também pode existir a necessidade de alguns profissionais realizarem novas formações para poderem ensinar as pessoas a utilizar as novas ferramentas digitais e responder a quaisquer questões de forma remota.

Acesso e educação

Muitas destas ferramentas requerem um smartphone, tablet ou portátil e uma ligação à internet fiável para serem utilizadas em casa. Nem todas as pessoas têm acesso a estes dispositivos ou sabem como os utilizar. Algumas pessoas também poderão estar fisicamente impossibilitadas de as utilizar. À medida que a tecnologia vai mudando, é importante assegurar que as pessoas continuam a ter acesso aos cuidados de saúde. Os serviços presenciais devem continuar disponíveis se forem necessários ou preferidos.

Segurança dos dados

São necessários os sistemas adequados para gerir as informações pessoais com segurança. Por exemplo, se tiver partilhado uma fotografia com o seu médico, esta tem de ser armazenada corretamente, de acordo com a legislação de segurança de dados do seu país. Para obter mais informações sobre este assunto, leia o Folheto informativo sobre a partilha de dados da ELF.

Ética e relações médicas

A medicina tem padrões éticos que determinam a forma como os profissionais devem atuar. Existem preocupações sobre se é possível manter estes padrões com estas mudanças. Por exemplo, como é que as consultas remotas irão afetar a relação entre um paciente e o seu prestador de cuidados? O mundo dos cuidados de saúde funciona com elevados padrões para manter a privacidade – é possível conservá-los na plataforma digital?

Os governos e sistemas de cuidados de saúde estão a deparar-se com estes desafios, à medida que o mundo se adapta a novas formas de funcionamento após a pandemia da COVID-19.

O que irá acontecer numa consulta virtual e como se pode preparar?


Se for convidado para uma consulta online, pode seguir as sugestões abaixo para o ajudar a preparar-se:

Antes da chamada

  • Decida qual é o dispositivo (computador, tablet ou smartphone) que irá utilizar na sua consulta. Irá precisar de uma ligação estável à internet, independentemente do dispositivo que escolha. Certifique-se de que sabe como ligar o seu microfone, a câmara de vídeo e também o som.
  • Pode ser útil ensaiar todo o procedimento e selecionar o local onde irá sentar-se durante a chamada. Verifique se a iluminação é adequada e se a sua cara fica no meio do ecrã de frente para a câmara. Se tiver dúvidas, pode pedir ajuda a amigos, familiares ou vizinhos que possam explicar-lhe o processo. Também pode procurar vídeos do procedimento online.
  • Procure o convite da consulta, que deverá incluir os detalhes sobre como estabelecer a chamada. Certifique-se de que lê estas sugestões e de que está familiarizado com os passos que tem de tomar.
  • Prepare uma lista das questões a colocar – pode escrever uma pequena lista dos pontos que pretende abordar para não se esquecer de nada.

Durante a chamada

  • Se o seu vídeo não ligar, o seu prestador de cuidados de saúde provavelmente irá tentar contactá-lo utilizando o número de telefone incluído no seu registo. Se não conseguir contactá-lo por telefone, normalmente irá reagendar a sua consulta para uma outra altura.
  • Tenha um bloco de notas à mão ou um documento aberto no seu computador para escrever notas durante a chamada. O seu prestador de cuidados de saúde irá tomar notas no seu registo online ao mesmo tempo.
  • Se não perceber algo, pode recapitular o que ouviu quando a chamada chegar ao fim. O seu prestador de cuidados de saúde poderá esclarecê-lo se não tiver compreendido alguns pontos.
  • O seu prestador de cuidados de saúde pode prescrever-lhe uma receita online ou reencaminhá-lo para tratamento adicional durante uma videochamada, tal como habitual. Se tiver dúvidas sobre como aceder à receita ou como será informado sobre as consultas futuras, certifique-se de que coloca estas questões antes de a chamada terminar.

Leitura e informações adicionais


Informações para o paciente:

Investigação científica sobre a utilização de ferramentas digitais na saúde pulmonar:

A European Lung Foundation, em parceria com a European Respiratory Society, estabelece uma ponte entre os pacientes/público e os profissionais de saúde para melhorar a saúde pulmonar e contribuir para o avanço no diagnóstico, no tratamento e nos cuidados.

Este folheto informativo foi compilado com a ajuda da Dra. Hilary Pinnock, Jellien Makonga-Braaksma, Dra. Carme Hernández, Kjeld Hansen e Joyce Norwell.

Foi produzido pela European Lung Foundation para o projeto DRAGON. Saiba mais sobre este projeto.

 

Este trabalho recebeu o apoio da Innovative Medicines Initiative 2 Joint Undertaking da UE/EFPIA – Financiamento DRAGON n.° 101005122. Informações adicionais disponíveis em: https://www.imi.europa.eu/

Esta comunicação reflete a opinião do autor e nem o IMI nem a União Europeia, EFPIA ou quaisquer Parceiros Associados são responsáveis por qualquer utilização que seja dada às informações aqui contidas.

Subscreva o nosso boletim informativo