Print

DPOC

A doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) é uma doença crónica que causa inflamação dos pulmões, lesão do tecido pulmonar e um estreitamento das vias respiratórias, fazendo com que seja difícil respirar.

Há muitos tipos diferentes da doença, ainda que se saiba pouco sobre o que causa esta variação e sobre a melhor forma de gerir as diferentes formas da doença.

Última atualização 26/01/2021
This content is available in multiple languages.

Sintomas


Causas


A DPOC é causada por fatores que desencadeiam a inflamação dos pulmões. Incluem:

Os sintomas da DPOC são a falta de ar e a tosse crónica, com ou sem expetoração. Ao longo do tempo, também podem ocorrer fadiga, anorexia e perda de peso. Uma característica fundamental da doença são os períodos de sintomas agravados, chamados exacerbações. Estas podem ser desencadeadas por infeções ou pela exposição a níveis elevados de poluição do ar. Os sintomas da DPOC agravam-se ao longo do tempo e as exacerbações podem acelerar este declínio.

As pessoas com DPOC muitas vezes sofrem de outras doenças, chamadas comorbilidades. Estas doenças podem partilhar fatores de risco semelhantes, como o tabagismo, e muitas vezes contribuem para a gravidade da doença.

As doenças mais frequentes que ocorrem conjuntamente com a DPOC incluem a doença cardíaca, ansiedade e depressão, osteoporose, refluxo gastroesofágico, disfunção musculoesquelética, anemia, cancro do pulmão, diabetes e síndrome metabólica.

Prevenção


A identificação dos fatores de risco e a prevenção da exposição a esses fatores é o passo mais importante na prevenção da doença. Inclui:

  • Incentivar as pessoas a deixarem de fumar
  • Prevenir a exposição dos bebés ao tabagismo passivo antes e depois do nascimento
  • Reduzir a exposição à poluição do ar interior devido a combustíveis de biomassa nos países em desenvolvimento
  • Prevenir as exacerbações da DPOC

Tratamento


A DPOC é diagnosticada através de um teste de espirometria. Este teste envolve respirar para um dispositivo chamado espirómetro, que mede a quantidade de ar nos pulmões e a rapidez com que a pessoa consegue expirar. Se o teste mostrar que a quantidade de ar que a pessoa expira é baixa, isso pode indicar um estreitamento das vias respiratórias e as fases iniciais da DPOC.

Não há nenhuma cura conhecida para a DPOC, mas esta pode gerir-se eficazmente para aliviar o impacto dos sintomas na qualidade de vida. A gestão da doença inclui:

  • Reduzir a exposição aos fatores de risco, incluindo o tabagismo e a poluição do ar
  • Melhorar a capacidade de exercício, para ajudar a aliviar os sintomas
  • Tratamento médico com broncodilatadores para ajudar a prevenir exacerbações
  • Oxigenoterapia para ajudar a aliviar a falta de ar

As pessoas com DPOC podem ser referenciadas para programas de exercícios, chamados reabilitação pulmonar. Estes centram-se em melhorar a capacidade da pessoa para fazer exercício e em educar para ajudar a pessoa a gerir a sua própria doença.

(missing)


Necessidades atuais e futuras


Há muito espaço para melhorias no cuidado das pessoas com DPOC. Para o conseguir, os peritos recomendam melhorias nas seguintes áreas:

  • São necessários mais estudos sobre a prevenção, educação, medicação, tratamento e cuidados para conduzir a padrões mais elevados em toda a Europa
  • Mais investigação sobre a efetividade das técnicas de gestão atuais para a doença
  • Novas terapêuticas para abrandar a progressão da doença
  • Estratégias mais eficazes de cessação do tabagismo
  • Maior sensibilização dos governos, da indústria e do público em geral sobre o elevado impacto da DPOC na Europa
  • É necessária mais investigação sobre as diferentes variações da DPOC e do respetivo impacto económico para as sociedades europeias
  • Há falta de dados fiáveis sobre a incidência de DPOC – os Estados-Membros devem melhorar os registos
Subscreva o nosso boletim informativo